Buscar
  • Sindicato Sindicato dos Frentistas

Sindicatos pedem autorização na justiça para vacinar categoria

Intenção é imunizar os mais de 100 mil trabalhadores de todo o estado de São Paulo



Desde o inicio da pandemia que os sindicatos da categoria de todo o país tentam proteger os trabalhadores do Coronavírus. Como parte das ações sindicais, as 17 organizações do estado de São Paulo juntamente com a Federação Estadual (Fepospetro) entraram com um pedido judicial para a compra de imunizantes para a classe em especifico.


A categoria, por abastecer veículos, foi considerada como serviço essencial e, por isso, não parou de trabalhar com atendimento durante a pandemia. O contato direto com as pessoas fez com que a classe trabalhadora fosse uma das mais atingidas pela doença, com um aumento de 68% comparado com ano de 2020, segundo os dados do Ministério da Economia e confirmados pela Federação Nacional dos Frentistas (Fenepospetro) junto às fontes da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e o Departamento Intersindical de Estatística e Estudo Socioeconômicos (Dieese).


A ação, que foi protocolada em abril deste ano na 25ª Vara Federal de São Paulo, específica a necessidade urgente de vacinar os trabalhadores. Vale lembrar que, no inicio de abril, o Tribunal Regional Federal da 3ª Região (TRF-3/SP e MS), autorizou os sindicatos do Comércio de Campinas, Paulínia e Valinhos a importar doses de vacina para imunizar os trabalhadores do setor.

Para Luís Arraes, presidente da Fepospetro, a busca pelos imunizantes é uma agenda de luta para toda a categoria. Além do judicial, os representantes também exigem das autoridades sanitárias a inclusão dos frentistas no grupo prioritário da fase IV do plano nacional de imunização, ao lado de policiais, bombeiros e professores.


Fenepospetro encaminha à Casa Civil as necessidades dos trabalhadores


Foi realizada este ano uma reunião em Brasília em que a Federação Nacional dos Frentistas (Fenepospetro) apresentou uma pauta de reivindicações referente à saúde dos trabalhadores, principalmente durante a pandemia.

As medidas encaminhadas ao Governo Federal em relação ao Coronavírus foram de comprometimento da Casa Civil que levou em consideração o estado de calamidade pública na saúde, e que a categoria está na linha de frente e precisa de prioridade nas campanhas de testes e vacinação.

No encontro que contou com a presença de Sérgio Pereira, secretário executivo da Casa Civil, foi pedido também mais fiscalização para as questões de registro trabalhista e direito e combate ao assédio moral e sexual no ambiente de trabalho.

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Perda no saldo do FGTS chega a 88,3%

Sindicalize-se e recupere o saldo do seu FGTS Criado em 1967 com o objetivo de proteger os empregados demitidos sem justa causa, o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) virou nos últimos anos s